Por que devemos exceder o treinamento no varejo?

Por que devemos exceder o treinamento no varejo?

Escrito em 18/04/2016
William Caldas


Normalmente quando converso com contratantes das palestras ou treinamentos que eu ministro, faço uma pergunta que determina todo meu enfoque a partir daquele momento: Sua empresa tem o hábito de realizar treinamentos para a equipe frequentemente?

Quando recebo uma não como resposta, preocupo-me em sempre orientar sobre como o treinamento acontece, o que eles devem atentar-se em relação à organização do evento, na comunicação com as equipes sobre o treinamento e principalmente, procuro sempre fazer com que percebam prazer em treinar.

Ainda existe em muitas empresas, o conceito de associar treinamento a custo e não a investimento. A conta e que eu costumo fazer com os empresários é: O que custa mais caro, treinar ou trocar frequentemente os colaboradores? A alta rotatividade eleva e muito o custo da operação de uma empresa e treinar a equipe exige investimento, sim, porém pode transformar as pessoas de tal forma que isso seja refletido em vários resultados da empresa, inclusive financeiros.

Como treinar a equipe internamente?

Existem no mercado dois grandes blocos de empresas: as que investem em treinamentos internos e externos e as que apenas treinam de forma externa. Defendo a ideia de que a empresa perpetue o hábito de treinar internamente.

Algumas pessoas me perguntam sobre como promover treinamentos internos. E respondo que basta criar o hábito de fazer quem sabe mais determinada matéria, compartilhar com os outros integrantes da equipe.

Se formos criar pautas de treinamentos para uma empresa, por menor que ela seja, teremos um planejamento praticamente para um ano inteiro. Conheço gestores que confessam aproveitar muitas vezes pequenas reuniões para treinar suas equipes e que isso faz toda a diferença em seus resultados.

Imagine se você resolver dar uma pequena orientação de apenas 15 minutos diariamente antes da equipe começar a trabalhar. Se em média um mês tem 22 dias úteis, teremos em um ano nada menos que 264 pílulas de orientações. Isso significa transformar a mentalidade de um time 15 minutos por dia.

Ter criatividade para abordar 264 temas diferentes é um desafio maravilhoso para quem gosta de treinamento. Além de poder falar sobre os pontos fortes de um serviço ou produto, diariamente. Se você preferir um treinamento semanal, tudo bem. Você terá 52 semanas para trabalhar 52 temas diferentes, usando apenas 15, 20 ou 30 minutos de um único dia por semana.

A importância de um “olhar de fora”

Obviamente, se você entende que é importante trazer alguém de fora para falar para sua equipe em uma palestra de 1h, 2h ou para um treinamento de 8h ou 16h a cada seis meses, isso é de extrema relevância para a empresa.

Para esses encontros eu sugiro que você exija de quem vai ministrar a palestra ou o treinamento, realizar um briefing com o gestor da equipe e se possível que ele também entenda como é a metodologia de trabalho do grupo que encontrará no dia do evento.

Briefing significa alinhar o conteúdo que o profissional trará, com as expectativas, desejos, anseios e necessidades de quem irá assistir. Quanto mais requintado for o briefing, mais assertivo será o treinamento.

Por último, reflita se seu varejo treina frequentemente suas equipes.

Eu definitivamente não acredito que preço seja tudo no varejo. Acredito que preço é um ponto extremamente importante, porém, aliado ao atendimento de excelência, faz seu varejo voar nas vendas, mas com qualidade.

Nós temos inúmeros exemplos de empresas que de certa forma vendem muito, mas quando buscamos o índice de insatisfação dos clientes nos Procons, percebemos que o preço foi até atraente, mas que a qualidade do atendimento ou do serviço posterior, como a entrega, por exemplo, ficou muito a desejar.

Afirmo que o atendimento precede a venda. E para atender de forma adequada, é importante treinar frequentemente. Peque pelo excesso, não pela falta.

 

William Caldas